PROJETO DE TELESSAÚDE PARA A SAÚDE INDÍGENA NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL

1° Oficina de sensibilização do projeto de telessaúde para saúde indígena do nordeste.

O projeto piloto de Telessaúde para a Saúde Indígena no Nordeste faz parte do Núcleo de Telessaúde do IMIP (NTES), abrangendo 06 Distritos Sanitários Especiais Indígenas do Nordeste e seus respectivos polos base (54 polos base distribuídos nos estados de AL/SE, PE, PB, MA, CE e BA).

A partir da inserção da teleassistência na rotina da Equipe Multidisciplinar de Saúde Indígena (EMSI), os profissionais situados nos polos base podem fazer solicitações online de teleconsultorias e segunda opinião formativa para diversos especialistas do IMIP, através da Plataforma de Telessaúde do Ministério da Saúde. Este contato apresenta-se como importante estratégia para melhorar a qualidade assistencial e diminuir o número de encaminhamentos para a rede de saúde dos grandes centros, o que reduz os custos de deslocamentos.

As atividades de tele-educação, outro eixo fundamental do projeto, também contribuem para a efetivação de ações de saúde em rede e para o aperfeiçoamento de recursos humanos para atuação em contextos interculturais. Dentre as atividades desenvolvidas estão: cursos de educação à distância a partir das demandas das EMSI, participação no SIG de Saúde Indígena, Simpósios, Seminários e Oficinas com temas que perpassam a Saúde Pública, a Telessaúde, a Antropologia e os Povos Indígenas.

Ao possibilitar a interligação de uma grande diversidade de saberes e práticas de cuidado, a estratégia da Telessaúde fortalece a Saúde Indígena como Subsistema do SUS e contribui para a proposta de atenção diferenciada defendida pela Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas.